A aparência no meio corporativo.

A aparência no meio corporativo.

DRESS CODE para Empresas |

“A real importância de vestir-se adequadamente no meio corporativo. ”

 

Oswaldo Portela para Like Magazine | Foto: Gabriel Not

Já diria o ditado: “a primeira impressão é a que fica”, será? COM CERTEZA!

Sim, é verdade que o corpo fala e que a primeira impressão é a “que fica”, porém, atualmente fala-se cada vez mais da importância da imagem (e do cuidado da apresentação pessoal) nos negócios.

Especialistas afirmam: são necessários apenas 30 segundos iniciais para que a imagem reflita na impressão que as pessoas levarão de ti. Minoru Ueda, especialista em liderança, escritor e master coach afirma que este tempo tem relevância numa entrevista de emprego, como exemplo.

Mais que isso: essa mensagem não está relacionada à voz, gestos ou expressões sonoras, apenas a imagem visual já é o suficiente para enviar os sinais necessários até que o receptor avalie e identifique, tire sua conclusão.

Desta forma é bem possível que não possamos “repetir essa primeira impressão”, afirma Reinaldo Passadori, educador corporativo.

Frente a este movimento, que busca aperfeiçoar o comportamento de empresas e seus funcionários, profissionais de marketing e RH bem como diretores têm percebido nos últimos anos a importância em estabelecer um dress code corporativo, que na sua tradução literal significa “um código de vestir”.

Em meados de 2010 recebi o convite para ministrar equipes empresariais , além de perceber ser uma necessidade que o mercado apresentava, ter alguém que comunicasse dentro de empresas qual a melhor forma dos funcionários se apresentarem em seus negócios; nesse momento também recém havia iniciado a Complè.

Desde o começo o foco sempre foi ensinar sobre apresentação, comportamento e sim, etiqueta. Criei grupos masculinos e femininos, separados e voltados para cada necessidade particular, em cada segmento. Daquele ano para cá foram contabilizadas diversas turmas e de diferentes empresas, de porte pequeno, médio a instituições de renome como as universidades Feevale e Unisinos.

Mas afinal, como é feito esse trabalho?

No primeiro contato, sempre buscamos entender a verdadeira necessidade do cliente. Em geral as empresas solicitam uma adequação da vestimenta de seus funcionários que, necessariamente, não precisam usar nem estabelecer o uso de uniformes. Então criamos de forma personalizada e adequada ao cliente a identidade visual para então aplicarmos o dress code ou como também é chamado, “código de vestir”.

Afinando conteúdo, temática e pontos a serem trabalhados, criamos a sistemática que deverá ser usada em encontros pré-estabelecidos. Pontos como Imagem Pessoal, Etiqueta Corporativa e Etiqueta Social são aprofundados além da adequação da imagem de cada funcionário e seu estilo à empresa.

O resultado é notável logo na aparência de cada funcionário, posteriormente na imagem que é levada para clientes, fornecedores e todo o seu networking, repercutindo em estímulo pessoal, gerando auto- confiança, maior segurança em si próprio e naquilo que cada um faz.

No início o trabalho parecia se tratar de coisas muito supérfluas, mas com o passar dos encontros fui percebendo nos detalhes coisas que realmente poderiam fazer a diferença não só na minha apresentação profissional, mas também para minha vida, como motivação, incentivo, como escudo.

Atualmente não saio de casa sem estar pelo menos com meu BB cream e  rímel… Mas a mudança que mais considero mais relevante é a de quando tenho algo para enfrentar que me desafie, seja avaliativo, me preparo como se fosse para uma festa, bem maquiada, bem vestida, com um sorriso, aprendi que dessa forma é mais encorajador, teu psicológico age diferente, positivo.“ Relato de Neusa Soares – colaboradora da Universidade UNISINOS. 

Quer saber mais? Entre em contato conosco em: contato@comple.com.br e (51) 3035.1324

Um abraço, Kamila.

 

No Comments

Post A Comment